Arrow
English
section sumary
10 Razões porque o Japão é imperdívelOtimizando seu SSD para performance e vida útilPsiquiatria e a aventura da BigPharmaClasse baixa, classe média, classe alta?Você sabe onde realmente é seguro?Mantenha a calma e doePressão Alta: O mal não tão silencioso?Algumas coisas que você deveria saber sobre a AppleA Singularidade está chegando!

Daisuki.com.br

Florianópolis, Japão, PHP e outras besteiras

Bem vindo(a) à Daisuki.com.br/Daisuki.net.br

Este é o blog pessoal de Caio Vianna de Lima Netto. Artigos e opiniões são do autor. Concorda? legal! Não? Pena ...

Não perca: Meus melhores wallpapers - Wallpapers criados entre 2006 e 2010. Hoje em dia não tenho tido paciência ;)

Classe baixa, classe média, classe alta?

Geral

Imagem para Classe baixa, classe média, classe alta?

Afinal, você é classe baixa, média ou alta?

Melhor ainda, o que são as classe sociais?

Segundo o mundo civilizado (que surgiu lá por volta da civilização grega), estas classes são muito fáceis de entender:

  • Classe baixa esta abaixo de um mínimo necessário para se ter uma vida decente, de qualidade e saudável.
  • Classe média está em um patamar adequado (médio) para uma vida digna e saudável,
  • Classe alta tem mais do que precisava para ter uma vida digna e de qualidade.

Mais fácil impossível. Basicamente, o que se faz agora na era moderna (ainda em mundo civilizado), é verificar o que podemos oferecer que forneça ao cidadão uma vida digna, e então moldar as outras classes ao redor dela. Podemos até dar valores de renda per capta baseados nisso, desde que atualizemos constantemente conforme os preços mudem etc. Então, coloque em sua cabeça: classe MÉDIA não é estar na MÉDIA, não é UM TERÇO da população (1/3 antes, 1/3 depois), não é ganhar ao redor do que o povo ganha em MÉDIA. Mas sim, ter uma vida digna e saudável;

Para iludir o povo, governos usam vários truques divertidos para colocar você na classe média (ou até alta), quando na verdade você está longe disso. Curiosamente, a psicologia disto, de fazê-lo se sentir melhor, funciona tão bem que é uma arma poderosa em época de eleições. Mas, vamos ver o que REALMENTE é a classe média, e o que o governo diz que é classe média?

O que o governo diz.

Segundo a Secretaria de Assuntos Estratégicos e a Associação Brasileira de Empresas de Pesquisa, ambas sempre controladas pelo governo, existem dois modos de se "calcular" a classe média: o quantitativo (quanto você ganha), e o qualitativo (o que você tem). Curiosamente, NENHUM dos métodos propostos no Brasil cobrem realmente o que deve ser abordado, e é deixado de lado: saúde, saneamento, segurança, profissionalismo, bem estar e educação quando é citada, tem papel insignificante; Espera, sobrou alguma coisa? não.

Eis os dois métodos usados no momento (2014):

POSSES, de acordo com o ABEP:

Aparentemente, TER bens é mais importante do que qualquer direito ou bem estar. Não importa sua saúde, saneamento, segurança ... enfim, você notou. Educação superior? 4 pontos (sobre ensino médio), o mesmo que ... um carro. Note o detalhe, no entanto: a qualidade, idade e se é de 2ª mão não importam em nenhuma resposta. Então se você tem 2 TV branco e preto, 3 radinho de pilha, 1 banheiro, 1 carro de segunda mão, uma máquina de lavar enferrujada ou de madeira (aquelas beeem velhas), um Videocassete (alguém tem isso?), uma geladeira, e o chefe da casa teve a sorte de completar o segundo grau: 25 fantásticos pontos! Parabéns, bem no meio do B2, classe média média. E olhe que a proposta é incluir "computador" e "aparelho celular" e "acesso à internet" nesta lista, se cada um for só um ponto, você está no B1! Quase rico!

Não preciso dizer que não tem como levar a sério. As classes sociais não são sobre posse, mas sim sua qualidade de vida. Cade seu sistema de saúde? Cadê sua segurança? 

Este é o método que foi usado no último SENSO!

A proposta atual, diz que se você ganha bem, então você está em uma boa classe social (dica: todos os países desenvolvidos aboliram classificação por dinheiro pois são piores do que os de posse).

RECEITA, segundo o SAE:

 Esta é a mesma imagem que do topo do artigo. Ela se baseia que a classe média é aquela que ganha ao redor da média do povo (escuto risos e um "o queee?" ao fundo), que em 2012 era R$ 622 (não se preocupe, não subiu muito). segundo esta tabelinha, se sua renda per capta é de no mínimo R$ 1019, então você é, pasme, classe ALTA. O mais ridículo (se não fosse o suficiente) é que em "renda familiar", que geralmente inclui os dois cônjuges, o SAE tem a cara de pau de considerar 4 (QUATRO) pessoas, ou seja, seus dois filhos TRABALHANDO. Espera, trabalho infantil não é ilegal? E a maioria, quando passa dos 18 anos, não sai de casa e vai começar sua própria vida? Aparentemente, para o SAE, tanto trabalho infantil, como ficar na casa dos pais até os 40, é o que todos devemos fazer.

Se, como eu, você acredita que a renda familiar deve incluir apenas a dos adultos e não do filho (mesmo que acima de 18), então, ainda segundo o SAE, se você e seu cônjuge juntos ganharem mais de R$ 2038, parabéns, SÃO CLASSE ALTA, RIQUÍSSIMOS!

Bem vindo ao Brasil.

O que é realmente a classe média?

Unindo a definição de vários economistas e sociólogos, eis o que constitui uma classe média:

  • Alcançar a educação terciária (universidade);
  • Ter qualificações profissionais em qualquer área;
  • Casa própria (ou estável) e/ou segura financeiramente (com as contas em dia);
  • Estilo de vida determinado por seu estado social, como posses, educação, ocupação;
  • Vida confortável, amizades, e a liberdade (econômica) de se ter tudo isso;
  • Cultura; 
  • Alimentação, nutrição e Saúde de qualidade (incluindo água, luz e esgoto em sua residência);

Porque tudo isto? Porque você não pode ter dignidade sem educação; sem uma profissão; sem um mínimo de bens de consumo que o deixem satisfeitos; sem cultura e - claro - sem saúde, que envolve alimentação, nutrição, tratamento médico e a infraestrutura necessária para mantê-los assim, que é água, luz e esgoto ou tratamento sanitário.

Portanto, vamos brincar com algo parecido com a proposta do ABAE, e fazer uma real e justa? vamos lá:

Uma avaliação justa de classe social
(nos itens marcados com *, em itálico, some apenas uma vez)

Serviços: marque apenas o que você tem condições de pagar/ter (se aplicável)
Se seu "plano de saúde" é o SUS, marque itens de saúde sempre na coluna da direita.
Item Sub-item Some por item adequado/bom Some por item velho/inadequado
Alimentação Refeição* 4 2
  Higiene do alimento* 2 1
  Geladeira 2 1
Saneamento Banheiro sem esgoto 2 1
  Banheiro com esgoto 4 3
  Água potável* 4 1
  Luz* 3 1
Transporte Carro próprio 4 2
  Sistema de transporte público* 2 1
Bem estar Televisão flat/LCD/Plasma 4 2
  Televisão colorida CRT 2 1
  Televisão branco e preta 1 0
  Computador 2 1
  Dispositivos móveis (smartphone, tablets, etc) 1 0
  Console de jogos 2 1
  Ar condicionado 2 1
  Freezer 1 1
  Outros que julgue importantes (ex: microondas, lava-louças, cafeteira, etc) 1 0
Qualidade de vida Sensação de saúde* 5 2 (sus)
  Na sua última avaliação médica, foi considerado bem? (se não lembra, marque a segunda coluna, se nunca fez, não some nada)* 5 2
  Sensação de segurança* 4 1
  Possibilidade de sair para ir no cinema/jantar/balada por semana (marque no máxmo 4 vezes) 2 1
  Atendimento Médico por consulta / hora marcada* 10 4 (sus)
  Acima de 70 anos?* 5 1 (sus)
  Se engravidasse, faria acompanhamento médico?* 5 1 (sus)
  Planeja/fez viagem internacional recentemente?* 10 5
Educação Primário* não marque se tem outros melhores 1 0
  Secundário (colegial)* não marque se tem outros melhores 2 1
  Terciário (faculdade, etc)*não marque se tem outros melhores 6 3
  Pós (Mestrado, Pós, etc) 2 1
  Profissional reconhecido em sua área* 3 -
Direitos Emprego com carteira assinada / sócio de empresa* 6 -
  Plano de saúde eletivo (não emergencial)* 5 1 (sus)
  Plano de saúde ambulatorial (emergencial)* 6 1 (sus)
  Segurança contra desemprego / má fase* 3 1 (sus)
  Para cada R$1000 de sua renda, some 1 1 -
Sensação Está feliz com sua vida?* 5 2

Com a soma em mãos, confira:

  • Mais de 140: Altíssima/rico
  • 110~140: Alta
  • 75~110: Média
  • 40~75: Baixa
  • Abaixo de 40: Pobre/Vulnerável

E ai, deu uma diferença muito grande entre o que o governo diz, e o que realmente acontece?


Você sabe onde realmente é seguro?

Geral

Imagem para Você sabe onde realmente é seguro?
Hoje de manhã acordei com notícias excitantes (não!): Alguns turistas nos Estados Unidos (especificamente Flórida e NY) estavam surpresos (!) e chocados (!!) que eles foram roubados, e que na verdade é comum isto acontecer em hotéis principalmente contra estrangeiros (duh) Para a surpresa deles, batedores de carteira também existem nos EUA, quem diria!
Daqui a pouco eles vão descobrir que lá tem armas e crime também ... 
De qualquer forma, o assunto é o seguinte: as pe…

Mantenha a calma e doe

Geral

Imagem para Mantenha a calma e doe
A alguns dias atrás, alguém me perguntou '... e o que você faz pelas criancinhas do mundo', e para a infelicidade do indivíduo, eu respondi.
Não acredito que anunciar o que você faz para tentar melhorar o mundo seja algo muito aceito, já que muita gente vê isso como uma tentativa de se auto-promover, como se você ajudasse para ser reconhecido. Mas por outro lado, e foi o que eu concluí, as vezes é bom você mostrar que não tem nada de errado em doar, por menos que seja, porqu…

Algumas coisas que você deveria saber sobre …

Tecnologia

Imagem para Algumas coisas que você deveria saber sobre a Apple
'...vários fatos que você deveria saber sobre a Apple mas que eles não querem que você saiba' Comecei minha vida na computação com produtos Apple. A maioria das pessoas da minha idade (ou mais velhas) começaram assim: o primeiro computador pessoal foi Apple, e eu tive um Apple ][e e um TK-3000. Era tudo muito legal e inovador, um grande avanço na época, e nós respeitavamos a Apple. 
Meu respeito pela Apple acabou por lá, e isto era ainda o começo do…

10 Razões porque o Japão é imperdível

Japão

Imagem para 10 Razões porque o Japão é imperdível
Me preparando para minha terceira viagem consecutiva para o Japão, as pessoas vivem me perguntando: Porquê o Japão; ou melhor ainda, Porque só o Japão. Minha esposa desenvolveu uma técnica única para lidar com esta pergunta e não ter que se incomodar: 'porque eu gosto'. Claro, isto é óbvio, mas na verdade, eu mesmo me pergunto: Porque só o Japão? Passei a estudar o país só para descobrir o que nos atrai tanto, e o que fez um casal de amigos nossos decidir em voltar ao Japão conosco nesta terceira viagem (depois de ir na primeira) entrando para o hall de pessoas que vão mais de uma vez para este país. Aqui estão 10 razões de porque você não deve perder a chance de conhecer este país. 1. Tem um pouco de tudo Existem vários tipos de turismo, sendo os mais claros os seguintes: aventura/exótico, cultural, eco-turismo, relaxamento, religioso/místico, compras, modernidade e/ou primeiro mundo (ou, inversamente, para quem já mora no primeiro mundo, querer conhecer os países em desenvolvimentos) e histórico. Também tem, claro, o turismo para conhecer lugares famosos. O japão oferece muito de todos os tipos de turismo, e eu poderia preencher várias páginas apenas citando o nome de cada lugar que se encaixa muito bem em cada perfil. Com 70% da área montanhosa e 60% florestal (sim, o Japão é um país extremamente verde e natural), o país oferece trilhas, hiking, sky, áreas de aventura tropical, sub-tropical, neve, centros culturais cosmopolitas ou orientais, centros gourmet, mais de 30 áreas tombadas como patrimônio histórico, centenas de áreas com templos ou jardins sagrados graças a convivência de 2 religiões (Budismo e Xintoísmo), além de ser um centro de modernidade e exportação tecnológica. Sua história também data tão longe quanto qualquer país europeu, sendo muito menos conhecido que os mesmos. Não importa o que você esteja procurando em sua viagem: o Japão tem, e muito. 2. Paisagens e natureza impressionantes Algo que muita gente não sabe é que o Japão é um país muito verde, muito cheio de natureza em todo lugar. Tokyo, uma das maiores cidades do mundo (em 2014, ainda a maior metrópole mundial), tem mais área verde do que qualquer outra metrópole (mais do que Nova York, ou São Paulo) - e não são áreas simplesmente 'verdes', mas sim multi-coloridas. Os parques (e jardins - há uma diferença. Parque é feito para as pessoas se concentrarem, Jardins para a natureza) Japoneses são mundialmente conhecidos por sua meticulosidade, cuidado aos detalhes, e variedade. Vários jardins são bolados para terem flores durante todo o ano, em todas as estações. E, claro, não podemos deixar de citar que os Japoneses são experts em criar Jardins que misturam não só a vegetação, mas também os minerais. Jardins de pedra, alguns só de pedra, são comuns. Tudo isto no meio de cidades modernas, limpas e cheias de arquitetura bela, tornam os arredores destes lugares ainda mais belos - e a meros 10 minutos de trem bala, você está fora da área urbana e no meio da floresta, no meio de vilas seculares mas não menos preservadas, limpas e cuidadosamente mantidas. O Xintoísmo, uma das duas religiões 'simbióticas' do país, exige um cuidado especial com a natureza. 3. Cultura sem igual. No ocidente todo mundo esta até o pescoço de cultura ocidental, principalmente a americana. Não é de se surpreender, portanto, a vontade de se conhecer os EUA ou a Europa. A verdade, no entanto, é que você já conhece. Nova York é como nos filmes, Paris é como nos filmes, até Tokyo, na verdade, é como nos filmes - exceto que você não costuma ver Tokyo tanto assim. O que muita gente não sabe, é que depois dos Americanos e sua 'cultura', o Japão só perde para a Coréia do Sul em exportação cultural! Desde a cultura milenar até a pop atual, existe um pouco para todos, e a cultura e identidade do Japonês é tão variada e exótica, que surpreende até quem já conhece. Some isto ao fato de se tratar de um país realmente desenvolvido, com amplo suporte para preservação de seus patrimônios e a criação e manutenção de museus e áreas culturais, e você tem um centro cultural sem igual - e você nem precisa realmente procurar, pois a cultura exótica e diferente esta nas ruas, basta passear e você vai se esbaldar em um povo totalmente diferente do europeu ou americano - ou sul americano. 4. O moderno, o religioso, o místico e o passado. Nenhum pais consegue misturar tantas características ao mesmo tempo: Ruas 'inteligentes' com mini-painéis-solares no chão e nos postes para acender leds durante a noite; tecnologia de ponta em todo lugar, até no vaso que você senta, em meio a templos milenares, festivais culturais, árvores seculares e uma religião que dá ênfase na natureza e no místico. Não importa onde você esteja no Japão, você se sente ao mesmo tempo em um lugar do futuro, cheio de gadgets, leds e LCD, e antigo, com muita madeira, papel, natureza e tradição. Esta sensação é contagiante, relaxante, e certamente inesquecível. 5. Turismo único: infraestrutura e tradição. O Japão também é um dos poucos países onde se visita não por causa de um local famoso, história importante ou aventura marcante, mas por causa de algo que a sociedade obteve e mantém graças a seu povo único: O sistema de transporte público do Japão, com ou sem o Shinkansen (Trem-bala), curiosamente atrai centenas de turistas! Só para isto, só para conhecer o que é um sistema de transporte quase perfeito - seguro, pontual, limpo, moderno. Em 2010, a média de 'atraso' na saída e chegada dos Shinkansen nas estações bateu o recorde mais baixo em anos: 6 segundos. Sim, 6 segundos foi o tempo médio de atraso de todos os Shinkansen durante o ano todo! Isto ilustra a disciplina, profissionalismo e modernidade deste país de tantos opostos, Mas não é só o sistema de transporte e seu trem fascinante que atrai multidões: O tradicional Hanami, 'observação das flores', que ocorre no final de março e começo de Abril (primavera) no Japão, é mundialmente famoso. É quando as cerejeiras e outras árvores florescem e transformam as cidades, vilas, vales e florestas em um grande campo de flores onde as pessoas fazem pic-nics com amigos e familiares em uma grande celebração de vida e natureza. Diversos parques e jardins em todo o país, em todas as cidades, são dedicados apenas para estes poucos dias, mantendo toda a natureza cuidadosamente preparada para maximizar o impacto das belas cerejeiras. Multidões dentro do Japão viajam neste país com o maior turismo interno do mundo para visitar os diferentes pontos de observação de flores. E, claro, os turistas externos não poderiam deixar de faltar. Só uma dica: reserve seu hotel com antecedência, pois no Hanami, as vagas se esgotam com quase um ano de antecedência. O Japão não é o único lugar do mundo que tem belas primaveras, mas é onde existe a primavera mais celebrada do mundo. E continua: O Outono também tem sua estação de flores celebrada pelo povo, e no verão os diversos festivais celebram um país que, apesar de devastado a pouco mais de 60 anos, celebra a vida como nenhum outro (talvez até por isso). E os festivais não são sobre mulher pelada, samba ou carros alegóricos coloridos, mas sim sobre aspectos culturais ou religiosos, celebrações de vida ou morte, de Deuses ou Espíritos, ou simplesmente de cerejeiras ou pessegueiras. Só vendo para entender. 6. Um povo sem igual. Muita gente tem na mente o esteriótipo típico do Japonês: fechado, sério, disciplinado. Até o último, erraram. O Japonês é extremamente aberto, idolatra sem igual o diferente e os extrangeiros, abrem sorrisos por nada, riem sozinhos, e se deliciam em observar o que não entendem. São curiosos, são apaixonados. O casal de velhinhos no restaurante típico não poderia ser mais simpático ao observar os 4 turistas desajeitados e provavelmente sem educação na mesa ao lado, mas quando estes turistas parecem ter problema para chamar a atenção do garçom, o senhor abre um sorriso, como se deliciando com a cena, e chama o garçom para eles. Estes 4 turistas são eu, minha esposa e um casal de amigos, e eu observei eles com o canto do olho por um bom tempo. Os Japoneses são assim, sempre prontos para ajudar: no templo em Kyoto, quando estou me preparando para tirar uma foto dos 3 companheiros de viagem, surge do nada 4 colegiais lutando entre si para ver quem vai chamar minha atenção primeiro para perguntar se eu quero que tire uma foto nossa; Em um jardim pacato em Arashiyama, um senhor com uma jovem em roupa típica do nada se aproxima de mim e quase pega a máquina de minhas mãos e diz em um inglês desajeitado que quer tirar uma foto nossa - e tira muito bem. O garçom adolescente de um restaurante pomposo em um local histórico arrisca um português, pergunta como se diz isto ou aquilo, e não deixa de mencionar o futebol; o guarda da estação de metro, ao ver que o turista burro passou pela catraca e não pegou o ticket de retorno, não dispara alarmes ou apitos, mas chama a atenção com gestos, corre até a catraca eletrônica, abre e pega o ticket que já foi engolido, e mostra como se deve pegar o ticket de retorno quando passa, tudo com um sorriso no rosto, sem stress, sem preocupação. O fiscal da imigração ri muito com o turista que não consegue colocar o dedo no lugar certo do leitor de digital; Um funcionário do metrô nota os turistas novatos e vem oferecer informação, me leva quase na mão até o guichê de venda, fica na fila comigo (enquanto outros Japoneses, sabendo que ele é um funcionário, param para pedir informações), e depois de quase 5 minutos na fila (uma ETERNIDADE no Japão) pede exatamente o que eu preciso no caixa, e me leva de volta até a plataforma …
Você está na versão em português.

Click here to switch to the English version